AS DIFICULDADES DA SOCIEDADE DOMINANTE E A LUTA DOS POVOS INDÍGENAS

Baseado na carta do 1º Presidente da Organização Indígena da Bacia do Içana entre 2992-1995, enviado para Jornal Kaaly para 2ª edição em 2018, segue editado sobre a dificuldade da sociedade envolvente em lhe dar com povos indígenas e suas lutas!OIBI final da assembléia na comunidade Tucumã

O Governo e Estado que gerem as suas histórias, os presentes e os futuros de sua nação e parte da sociedade dominante no Brasil continua não aceitando as nossas conquistas como povos indígenas e muitos políticos e exploradores continuam, com suas artimanhas para não respeitarem o nosso povo, mas de explorar nossos conhecimentos e riquezas das terras, lagos e rios. Contra qual precisamos ser firmes junto à defesa da nossa identidade, e que fique claro: a nossa luta é pelo respeito como ser humano e como povo, nada fora do que já é direito, pois temos nossos direitos conquistados como: terra, saúde, educação, e apoio a projetos de economia e desenvolvimento sustentável. Hoje estamos organizados de acordo com artigo 232 da Constituição Federal de 1988. Apesar disso o país, Governo e Estado brasileiro, políticos e sua sociedade se fazem de cego para não reconhecerem a constitucionalidade dos nossos direitos. Isto nos leva a crer que precisam conhecer para reconhecer, respeitar nossas organizações e nossos representantes, nossas organizações formais existentes são para promover nosso bem viver.

Os povos Baniwa e Koripako na cabeça do cachorro, no Alto Rio Negro, assim como demais povos, na sua história, ante da chagada de invasores e exploradores, estávamos nas nossas terras, em cada espaço a nos entregue pelo criador, por meio de nossos antepassados, respeitando limites de terra e Território de cada povo vizinho ou daqueles com quais nossos povos tiveram relação, transitando livremente com devidas licenças e autorização na nossa terra, com outros e entre os demais povos. Com avanços e chegada cada vez mais de exploradores, nosso povo, teve que aprender, para entender o que estava por vir e como deveríamos nos preparar e se organizar para defender nosso espaço, nossa Terra e Território e o nosso povo, por meios próprios de aprendizado tradicionais, escravidão que nos atravessou, e no início do século passado para cá, enfrentando cadeiras de escolas, para saber ler e escrever.

A pesar de toda história triste que o Estado Nacional Brasileiro promoveu contra os povos indígenas, o fato é que sempre contribuímos com o país e continuamos em defesa coletiva do nosso povo e da nossa terra-território milenar. Muitas lutas de resistência e estratégias. Nós conseguimos um capítulo específico de direito, artigos 231 e 232, na CF de 1988. Estes direitos nos garante amparo e reconhecem as nossas organizações próprias, nossas terras e cultura, costumes e tradição. Por isso as nossas organizações formais são legítimos, com processos próprios de constituir seus representantes legais eleitos em assembleias em nossas comunidades.

Precisamos levar mais conhecimentos para nosso próprio respeito na sociedade, pois isso é fundamental em longo prazo produzir respeito. Isto é para que nos respeitem, assim como respeitamos as sociedades dominantes, seus representantes, seus governos, seus modos de se organizarem para trabalhar junto com seus povos, suas nações em suas cidades, estados nacionais ou países.

Vejam que o mundo e sua sociedade buscam alternativas de saídas para crises de modo geral, e nós povos indígenas, podemos e quem sabe, sabemos, conhecemos e podemos ser a saída para os problemas que o mundo e sociedade passam nos dias de hoje. Por isso é fundamental continuarmos e nos firmarmos naquilo que temos, acreditando naquilo que é de melhor para nosso povo e outros povos, seres humanos, demonstrando que o mundo precisa agora do Bem Viver e Viver Bem que pode resumir práticas sustentáveis milenares dos povos indígenas no Brasil e no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s